Energia gerada será capaz de abastecer 120 mil domicílios e vai beneficiar cerca de 500 mil pessoas

PREFEITO DO RIO APRESENTA PROJETO PARA TRANSFORMAR LIXO EM ENERGIA

O prefeito Marcelo Crivella apresentou um projeto de instalação de uma usina para transformação de lixo em energia elétrica. A instalação será uma unidade da Comlurb e a primeira já construída na América do Sul.

A usina terá o nome de Unidade de Valorização Energética dos Resíduos (VER) e a licença ambiental para o projeto foi entregue a Crivella pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea) a licença ambiental. A unidade será instalada no EcoParque do Caju, na Zona Norte do Rio e a energia gerada será capaz de abastecer 120 mil domicílios, beneficiando cerca de 500 mil pessoas. 

"É a primeira vez que vamos ter todo resto de comida, com cascas de verduras e frutas e todo lixo orgânico produzido na cidade, para gerar energia. São 30 Megawatt-hora (MWh) por dia. Além disso, vamos deixar de levar dezenas de carretas para o aterro em Seropédica, e isso vai melhorar o trânsito na Avenida Brasil. Vamos gastar menos asfalto e queimar menos combustível, diminuindo o efeito estufa e o aquecimento global", disse Crivella.

De acordo com a prefeitura, cerca de 1.300 toneladas de resíduos por dia serão transformados em energia. O material será aproveitado da coleta feita diariamente na cidade. A expectativa é de que o empreendimento traga uma economia de cerca de R$ 9 mil por hora para o município. Ao todo, 14% do lixo em geral, preferencialmente orgânico, serão transformados em energia limpa.

Com relação ao trânsito, o projeto vai eliminar o tráfego de 68 carretas de lixo por dia nas vias públicas que hoje são transportadas para o Centro de Tratamento de Resíduos (CTR-Rio), em Seropédica, na Baixada Fluminense. A tecnologia é usada em 300 cidades da Europa e em outras 200 de EUA e Japão. A usina vai empregar até 300 pessoas, direta e indiretamente, sendo 50 só na operação permanente.

Com a licença ambiental, a Comlurb dará início a uma parceria com a empresa Ciclus Ambiental para a criação da unidade. Os resíduos utilizados na VER serão provenientes dos bairros da Zona Portuária, Centro, Zona Sul e Zona Norte. Desses pontos até a usina, o transporte será feito pela Ciclus até o Caju. A iniciativa ao todo, terá o investimento de R$ 500 milhões pela iniciativa privada, financiados por bancos de fomento (BNDES, CEF ou Banco Mundial).

Notícia extraída do Jornal O dia