INVESTIMENTO EM ENERGIA LIMPA RECUA 14% NO PRIMEIRO SEMESTRE


Fator preponderante dessa queda vem da menor aplicação da China no montante global

Os investimentos em energia renovável desacelerou no primeiro semestre de 2019. O valor ficou 14% menor para US$ 117,6 bilhões no mundo. O fator preponderante dessa queda vem da China, 39% menor do que o verificado no mesmo período de 2018. O país asiático aplicou US$ 28,8 bilhões, o menor montante para um semestre desde 2013. Os dados foram divulgados pela BloombergNEF (BNEF).

Segundo a BNEF, esse movimento deve-se ao movimento do governo local de estabelecer tarifas para novos leilões nas fontes solar e eólica. A BNEF ressaltou que os números para o primeiro semestre de 2019 provavelmente superestimem a gravidade da desaceleração. No entanto, espera que haja agora um leilão solar no mercado chinês para levar a uma corrida de novos financiamentos de projetos fotovoltaicos. Além disso, poderão ser vistos vários grandes negócios em eólica offshore no segundo semestre.